Plásticos, plásticos e mais plásticos!

Apresentamos um dos piores vilões ambientais: o plástico.

Embora possa ser muito conveniente comprar alimentos e produtos em embalagens plásticas (inclusive água em garrafinhas de plástico, o que é um absurdo) o custo para o meio ambiente é extremamente alto. A poluição causada pelos materiais plásticos é responsável pelo maior acúmulo de resíduos já visto na Terra. Estamos falando do “oceano de plástico”, nome dado ao vórtice de lixo que extende-se a partir da costa da Califórnia, atravessa o Havaí e chega a meio caminho do Japão, atingindo uma profundidade de mais ou menos 10 metros. Acredita-se que haja neste vórtex de lixo cerca de 100 milhões de toneladas de plásticos de todos os tipos.

Imagem do vortex de lixo e das correntes marinhas

Imagem do vortex de lixo e das correntes marinhas

Mesmo sendo a maioria dos plásticos recicláveis O Dr. Marcus Eriksen e sua equipe coletaram várias toneladas de lixo encontradas no Pacífico e decidiram protestar. Ele e sua equipe decidiram navegar da Califórnia até o Havaí em um barco feito apenas com os materiais recolhidos.

Criativo

Criativo

“Sim, nós estamos arriscando nossas vidas, mas a questão dos plásticos à base de petróleo e de nossa dependência econômica do petróleo em si, justificaram uma ação urgente,” explicou Eriksen em seu blog.

São produzidos anualmente cerca de 100 milhões de toneladas de plástico e cerca de 10% deste total acabam nos oceanos, sendo que 80% desta fração vem de terra firme.

Durabilidade, estabilidade e resistência a desintegração. Estas propriedades do plástico tornaram possível a mais criativa idéia de reutilização de garrafas plásticas jamais vista. Trata-se da Spiral Island, uma ilha artificial localizada próxima a praia de Quintana Roo, no Mexico.

Um paraiso, não?

Um paraíso, não?

O homem por trás disso é Richart (ou “Rishi”) Sowa, um britânico que construiu a ilha a partir de 250 mil garrafas plásticas e que demorou cerca de 3 anos para concluir seu trabalho.

Tendo como material flutuador sacos de rede de pesca contendo garrafas plásticas e uma superfície composta por feixes de bambus e madeira compensada, foi possível que Rishi enchesse a superfície com areia da praia. A ilha tem aproximadamente o tamanho de uma quadra de basquete, e requer manutenção constante.

A Ilha Spiral em março de 2000.

A Ilha Spiral em março de 2000.

Mas nem tudo pode ter um solução criativa. O advento das embalagens plásticas transformou nossa cultura consumista em uma poluição sem controle, e é uma enorme tarefa colocar freios sobre a dinâmica destes resíduos plásticos. Aqui está uma lista informativa de fatos sobre as garrafas plásticas, que mostra a grandeza desta poluição:

* Garrafas de plástico levam cerca de 700 anos para se decomporem;
* 90% do custo da água engarrafada é devida à garrafa em si;
* 80% das garrafas de plástico não são recicladas (sendo que todas elas são recicláveis);
* 38 milhões de garrafas de plástico vão para o lixo por ano nos Estados Unidos, contabilizando somente as garrafas de água (não incluindo refrigerantes e sucos);
* 24 milhões de galões de petróleo são necessários para produzir um bilhão de garrafas de plástico;
* O norte-americano médio consome cerca de 167 garrafas de água por ano;
* Engarrafar e transportar água é o método menos eficiente já utilizado para se fornecer água (energeticamente falando);
* A água engarrafada é a segunda bebida mais popular nos Estados Unidos.

Esperamos que você que leu esta matéria neste site saiba muito bem quais são as alternativas para se utilizar garrafas descartáveis e reciclá-las após o uso.

Pare. Pense. Tenha um consumo responsável.

Fontes:

Idealismo de buteco

GreenUpgrader

Greenpeace

5 Comentários

  1. outubro 17, 2008 às 2:37 pm

    Logo teremos um tsunami de garrafinhas e sacolinhas plásticas em nossas praias…

  2. outubro 29, 2008 às 10:32 am

    Ai mandou bem, no UEBAS.

  3. Andrei Cavalheiro said,

    outubro 29, 2008 às 3:55 pm

    As garrafas (e demais produtos) de plástico não são um problema, muito antes pelo contrário. Além da utilidade óbvia, qualquer coisa embalada em plástico ao invés de vidro ou metal fica mais leve e ocupa menos espaço, reduzindo os gastos com transporte (leia-se queima de combustíveis). O problema do “oceano de plásticos” é a má educação das pessoas e a falta de políticas públicas adequadas. Quem joga ou deixa se jogado o plástico no rio (por isso pára no mar) é mal educado ou irresponsável. Garrafas PET são 100% recicláveis. Assim como a grande maioria dos plásticos.

  4. Andrei Cavalheiro said,

    outubro 29, 2008 às 3:58 pm

    Outra coisa: quem pensa que está sendo ecologicamente correto ao trocar as sacolinhas plásticas do supermercado por uma daquelas de corda ou fita, ao velho estilo da vovó, responda-me onde vai colocar o seu lixo orgânico (e mesmo o inorgânico)? Tchan, tchan, tchan, tchan: vai ter que comprar sacos de lixo, feitos de PLASTICO, ele mesmo. Ou seja, trocou seios por meia-dúzia.

  5. Andrei Cavalheiro said,

    outubro 29, 2008 às 4:03 pm

    Mais uma: o Brasil é o terceiro maior reciclador de PET do mundo, reciclando cerca de 57% de todas as embalagens de PET produzidas. Colaboremos com a coleta seletiva e aumentaremos esse índice.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: